PESQUISA

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Vamos falar de Carnaval!


Pense são MAIS DE 22 MILHÕES DOADOS PARA O CARNAVAL DO RIO. Para a festa de carnaval aqui no Rio, foi feita uma COMISSÃO DE CARNAVAL, cujos membros são aqueles famosos BICHEIROS (muitos deles já foram até preso e outros ainda respondem inquérito policial ou processo mesmo) e presidentes de escolas de samba. Daí o bondoso Governo Federal, EM NOME DA CULTURA, doou 12 milhões de reais para o carnaval carioca. O Governo Estadual não ficou atrás e colocou mais 5 milhões no pacote. O Governo Municipal então fez o mesmo, colocando mais 5 milhões de reais. Resumo, mais de 22 milhões de reais, pois mais empresas contribuíram para depois abater no imposto de renda, TUDO PELA CULTURA. O dinheiro foi administrado pela tal comissão de gente honesta e de bem já citada acima. Ainda temos o fato de que o pagamento feito aos autores das músicas, veio deste dinheiro e que o autor do samba da MANGUEIRA foi um traficante procurado do complexo da mangueira. Grande parte deste material empregado nas escolas de samba, VIRA LIXO e o governo do Rio e a Prefeitura, gastam ainda mais dinheiro com segurança, limpeza e despesas com ambulâncias, hospitais, etc. Tudo pago por nós, otários brasileiros. VAMOS ABRIR A CAIXA PRETA DO CARNAVAL Alguém tem que acabar com esta pouca vergonha, CULTURA DA POUCA VERGONHA, CULTURA DA PROSTITUIÇÃO, CULTURA QUE SÓ TRAZ MALEFÍCIO A IMAGEM DO PAÍS E AOS LARES DO BRASIL, temos que falar a verdade, muitos lares, após o carnaval, estão destruídos, pessoas estão contaminadas outras perderam a vida outras estão hospitalizadas. Na Bahia foram mais de 120 brigas em um só dia e em uma rua somente, com um óbito. Muitos saíram apenas para se divertir, contagiado e emocionado pelo clima de alegria, sem maldade, como seria bom não é mesmo, mas isto é utopia, a realidade é outra, na rua tem de tudo e cada um, rico ou pobre, preto ou branco, pensa diferente do outro, o problema é que no carnaval, os canalhas podem usar mascaras a vontade e, se de cara limpa o safado já aprontava, quanto mais mascarado. Se o carnaval é cultura, todo tipo de festa também é, vamos LIBERAR VERBA PARA FESTAS JUNINAS, FESTAS CATÓLICAS, EVANGÉLICAS, ETC. Vamos exigir a prestação de contas destes safados que estão enrolando toda a população. É muita grana. Tanta coisa a fazer e eles torrando o dinheiro público. Afinal, a quem interessa esta administração do CARNAVAL? Quem ganha? Quem perde? De onde vem a Grana? Quem gasta e com o que gasta? Onde esta o dinheiro? Quanto sobrou? Quanto foi arrecadado? QUEREM PRIVATIZAR TUDO, ENTÃO PRIVATIZEM O CARNAVAL? Já basta de subsídio idiota para gastar o que não tem em orgias e sacanagem. O carnaval, principalmente do Rio, é auto-suficiente, entra muita grana, as indústrias de cerveja gastam milhões e outras também, o comércio e carros de soma eles que paguem à conta e não o povo. A Rede Globo, por exemplo, que LEVANTOU O CARNAVAL, QUE ESTAVA CAIDINHO, COM PROPAGANDAS E ELOGIOS DIRETOS, em troca conseguiu quase uma exclusividade e ganha muita grana com isso que coopere.

Texto todo aqui:
http://www.midiaindependente.org/en/blue/2008/02/411603.shtml


É, grande parte do que fala nesse texto é de fácil concordância de muitas pessoas. Afinal são fatos que nele são apresentados e não mentiras.
Claro, acho que carnaval é uma festa que favorece a cultura do país, porém na maioria as pessoas não sabem aproveitar essa festa se tornando assim algo repugnante.
Sendo assim seria algo como: carnaval consciente sim, e sem esquecer a cobrança do dinheiro público também, pois afinal se você não “aproveita” o carnaval o que estará ganhando com esse dinheiro que poderia ser investido em tantas outras coisas bem mais úteis sendo investido nessa festa quase sem utilidade nenhuma?

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

A Ata da Reunião que envolve uma Peça de Teatro Cômica


Dia dezessete de fevereiro de dois mil e nove, Joinville, Santa Catarina, é realizada a segunda reunião do grêmio estudantil Presidente Médici em dois mil e nove, no qual é debatido sobre as eleições de representantes de classe, e são decididos os métodos em que se organizará a mesma, que será por pontos apurados e com publicação na escola e em veículos de informação como no blog do grêmio estudantil, farão designados os responsáveis por organizar e realizar as eleições, é debatido sobre o transporte público de Joinville, sobre o que significa isto para os estudantes e para os trabalhadores, que serão obrigados a arcar com os lucros dos grandes empresários, é explanada o que é a Frente do Transporte Público da qual o grêmio estudantil do Presidente Médici apóia e qual seu objetivo para com os estudantes e trabalhadores, que é melhorar a qualidade de transporte e lutar contra a exploração, é debatida e formada uma comissão para realizar uma pesquisa escolar para saber quantos alunos da escola usam o transporte público para se locomover a escola, e decidido que com esses dados se iniciará um projeto de conscientização dos estudantes para que possam entender o que eles tem a ver com essa exploração efetuada pelos empresários e por que temos que nos unir à luta, é explanada a idéia de um teatro critico sobre os anos 60 da ditadura militar que é uma peça cômica que mostra como os estudantes eram oprimidos e obrigados a não se manifestar, tendo de fazer isso na ilegalidade promovendo jornais e manifestos clandestinos para mostrar a opinião dos estudantes, a peça se chama “Anos Sessenta Sossegadinho ...”.

Passe ou Impasse?


O aumento das tarifas de transporte coletivo urbano está novamente na pauta da mídia de Joinville e das entidades de representação dos trabalhadores e da juventude. E, como tradicionalmente acontece, o impasse já está estabelecido antes mesmo do início das negociações. No que diz respeito ao Executivo, nunca experimentamos um processo de democratização do debate, nem mesmo tivemos acesso ao conteúdo técnico que define, por fim, o percentual de reajuste decidido pelo prefeito.


No âmbito do Legislativo, poucas e isoladas vozes – leia-se vereador Adilson Mariano – posicionam-se exigindo transparência no processo, participação popular e reconhecimento das reivindicações e reclamações dos usuários, boa parte composta por jovens. Poucos se dão ao trabalho de analisar com o devido cuidado que o tema merece as duas faces da mesma moeda. A moeda que a população em geral não possui para bancar os custos da "caixa- preta" que sempre foi a concessão do serviço público da cidade e perdura por 40 anos.

Inclusive agora, acompanhando o assunto nos jornais, percebi um determinado preconceito no que diz respeito ao direito de organização popular, como se fosse pecado falar em controle social a incidir sobre os pleitos de majoração de tarifa por parte de concessionária de serviço público ou na luta pelo passe livre para estudantes.


Onde reside o pecado? Por que não acompanhar de perto a iniciativa estudantil que articulou na última semana a Frente Única contra o Aumento da Tarifa, inclusive com o apoio do Centro dos Direitos Humanos de Joinville, e que promete organizar a resistência e barrar o aumento. Para mim, parece tão ruim que um jovem, que trabalha e estuda, seja alijado do direito de acesso à educação, quanto reconhecer como ilegítimas as organizações populares e deixarmos de abrir espaço para que as contradições sejam expostas no debate.

A oportunidade está dada e será a primeira prova de fogo do governo de Carlito Merss. Por certo, a população espera que este governo inove na metodologia de análise das razões da Gidion e Transtusa e que esteja atento a todas as manifestações, pois, é bom lembrar, Carlito é autor de ação popular que discute a legitimidade desta concessão, que ainda tramita nos infindáveis meandros do Judiciário catarinense.

cynthiapintodaluz@terra.com.br

CYNTHIA MARIA PINTO DA LUZ | Advogada do Centro de Direitos Humanos de Joinville

Fonte:
http://www.clicrbs.com.br/anoticia/jsp/default2.jsp?uf=2&local=18&source=a2409096.xml&template=4187.dwt&edition=11741&section=941

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Primeiro emprego: 5 erros a evitar, do currículo à entrevista



Encontrar a vaga certa para o primeiro emprego é um desafio para a maioria dos recém-formados - mas quando eles encontram, começa um desafio ainda mais árduo: conquistá-la para si.

É muito interessante acumularmos um conhecimento sobre este assunto, já que a final de contas somos adolecentes e a maioria de nós ainda não teve um emprego, se dedicou a vida escolar, mas sente vontade de ter o seu dinheiro, sua independencia financeira, se sentir livre, poder fazer sua própria vontade e esse tópico chama a atenção por dar alguns toques para nós que podem nos ajudar e até serem decisivos na hora de procurar o Primeiro Emprego, e vale tanto para quem nunca teve um emprego como pra quem ja teve mas pode se aperfeiçoar.

Para evitar alguns erros comuns que muitas vezes afastam os jovens da sua primeira oportunidade, Flávia Furlan Nunes escreveu um artigo no InfoMoney apresentando 5 erros comuns dos recém-formados em busca do primeiro emprego. São eles:

  1. Procurar apenas na Internet
  2. Mandar currículos sem direcionamento
  3. Vestir-se errado para a entrevista
  4. Não saber ouvir na entrevista
  5. Não demonstrar cortesia na entrevista

Para saber os detalhes, leia o artigo completo: Cinco erros que recém-formados devem evitar na procura por uma vaga

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

A Frente se Possiciona contra o Aumento da Tarifa de Ônibus


A "Frente de Luta pelo Transporte Público" divulgou nota em seu blog repudiando a possibilidade de aumento nas tarifas pelo índice da inflação. O movimento afirma que, em 12 anos, Gidion e Transtusa aumentaram as tarifas 109,2% acima do índice. O raciocínio é que, se o critério fosse aumentar pela inflação, a passagem valeria hoje R$ 1,17.

Um artigo com uma entrevista com Carlito do ND pode ser encontrada neste site http://barraroaumento.blogspot.com/2009/02/publicado-no-nd-artigo-de-carlito-sobre.html

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Teste sua Vocação


Muitos de nós, inclusive eu, já pensamos, e amanha? Qual profissão seguirei? Um modo divertido e que pode sim dar algumas dicas do que gostamos são os testes vocacionais, eu próprio já fiz e é interresante ver as áreas que mais me chamam a atenção que mesmo sem perceber aparecerem, acho que muitos de nós já nos perguntamos estas perguntas simples, mas que nos enchem de curiosidade, este teste não é um guia cientifico, mas sim uma ferramenta para descobrir quais áreas nos mais chama a atenção, para aqueles que têm a curiosidade de saber qual campo tem mais a ver com seus interesses esse é um ótimo teste, bacana, interrativo e gratificante.


Testes vocacionais não fazem milagres, não têm poder de apontar uma única profissão a ser seguida - os que fazem são picaretas - mas são um bom norte acerca de aptidões e interesses. Fazendo perguntas, muitas vezes de aparência tola, os testes conseguem colher pistas das impressões de uma pessoa sobre um campo profissional. O questionário abaixo é um teste vocacional dos mais empregados. Você lerá uma série de atividades apresentadas aos pares, com letras "A" e "B". Algumas dessas atividades parecerão estranhas, mas não estão aí à toa. Lendo as alternativas, assinale "A" ou "B", estando livre também para marcar as duas ou nenhuma



Abaixo está o teste vocacional do Portal dos Estudantes, leia atentamente, e sigas as instruções para ter êxito em seu teste.


sábado, 14 de fevereiro de 2009

Eleição dos Representantes de Classe


Bons amigos, já fazem muitos anos que em nossa escola as eleições para representantes de classe são realizadas pelos professores regentes e a direção, essa pratica já se faz a tanto tempo que é automática, mas os representantes não representam os estudantes? Então nada mais certo que sua eleição ser organizada e realizada pelos próprios alunos, no ano de 2008 em assembléia geral com os estudantes foi aprovado o estatuto do grêmio estudantil, ou seja, as normas e as obrigações que o Grêmio Estudantil seria baseado para fazer qualquer coisa, e entre outras normas foi decidido pelos estudantes aprovar que a eleição de representantes de classe fosse realizada pelos alunos e organizada pelo grêmio estudantil em conjunto com os professores regentes de cada classe, de acordo com a seção 2 do artigo 11º ao 14º do estatuto aprovado com antes dito em assembléia geral, este estatuto está disponível on-line à qualquer um nesse mesmo blog, essas eleições serão iniciadas assim que a diretoria da escola disponibilizar a lista completa dos regentes de turma, com a qual será realizada uma discussão com cada regente para a melhor forma de realizar a eleição em cada classe.
Ser representante de classe entre outras atividades que lhe competem, é ser o ponto de referencia da classe, em que todos podem confiar, em que nós podemos nos apoiar para resolver os assuntos de que ele é responsável, é ser companheiro, é ajudar à qualquer colega sem esperar nada em troca à não ser a gratidão e o respeito de todos, ou seja, ser representante de classe é uma honra, e como tal deve ser respeitada e ser honrada por aquele que tem esse cargo, que nossos representantes atinjam essas virtudes e ajudem a todos nós estudantes da Escola de Educação Básica Presidente Médici a termos o melhor ano possível, um grande abraço à todos e aos futuros representantes.

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

É Constituida a Frente Única Contra o Aumento da Passagem de Ônibus


Dia 12 de fevereiro de 2009, foi constituída uma frente de lutas junto com os movimentos sociais no qual a UJES e os grêmios estudantis como o grêmio estudantil Presidente Médici fazem parte, à frente se constitui sobre a base dos seguintes princípios:


1. Não ao aumento das tarifas de ônibus

2. Não ao subsídio para as empresas de transporte

3. Auditoria nas planilhas realizada pelo DIEESE

4. Debate do aumento com a população através de audiências públicas e reuniões nos bairros

5. Passe Livre Estudantil sem aumento de tarifa

6. Criação de uma empresa pública de transporte

Propõe-se que essa frente haja como mobilizadora e informadora, nesse sentido serão construídos panfletos e manifestos explicativos, que distribuídos nas escolas e pontos de movimentos sociais de Joinville, trazendo informação e atualização à população a fim de que todos nós estudantes ou comunidade possamos estar cientes do que ocorre em nossa cidade, vamos ter informação de o que os grandes empresários pretendem fazer para ter lucro à nossas custas e como nós estudantes e população iremos nos mobilizar para barrar esse aumento, que é extremamente abusivo, sendo que eles tem ganhos absurdos às custas do povo trabalhador que precisa desse veiculo de transporte para trabalhar e pagar a alimentação de sua família e viver de modo digno.


Estamos em um momento único na história de Joinville, temos um prefeito de esquerda, ou seja, um prefeito que pelo menos na teoria pensa no social ao invés de pensar somente no bolso dos grandes empresários como os prefeitos até hoje faziam, é hora da mudança de fato, é hora de nós estudantes nos mobilizarmos contra esse aumento abusivo, é hora de buscarmos o Passe Livre Estudantil, chegou a hora meus amigos de mostrarmos à esses políticos falsos e insinuadores que nós somos a juventude da mudança e que queremos essa mudança, queremos uma empresa pública de transporte e volto a dizer, uma empresa que pense nos jovens, adultos e idosos, chega de exploração, É A HORA DA MUDANÇA, e nós somos essa mudança.

A reunião que marcou a volta da Frente ocorreu ontem (12/02), no Centro de Direitos Humanos Maria da Graça Braz (CDH), onde 25 pessoas participaram. Até agora, formam a nova Frente de Luta as seguinte organizações.

Movimento Passe Livre Joinville /Juventude Revolução /Diretório Acadêmico de Comunicação Social Cruz e Souza (Dacs/Ielusc) /Centro Acadêmico Livre de História Eunaldo Verdi (Calhev/Univille) /Grêmio Estudantil do João Rocha /Grêmio Estudantil do Preisdente Médici /União Joinvilense dos Estudantes Secundaristas

Nesse primeiro encontro, também estiveram presentes representantes de três vereadores do PT de Joinville, do Movimento Antimanicomial, do Centro de Direitos Humanos, da Esquerda Marxista (EM/PT), Juventude Socialista (JS/PDT) e do PSOL.




quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Contra o aumento da tarifa do transporte coletivo!


A União Joinvilense dos Estudantes Secundaristas (Ujes) e os grêmios ligados a ela convocam todos os estudantes a se organizarem junto a suas entidades estudantis para, unidos, irmos ao Prefeito Carlito exigir o fim do aumento da tarifa do transporte coletivo. É preciso que façamos reuniões, temos que estar preparados e organizados.
Carlito foi eleito como o Prefeito da mudança. Agora é a hora de ele garantir aos estudantes joinvilenses o direito ao passe-livre e a toda população os benefícios de uma empresa pública de transporte coletivo. Cabe a nós reivindicarmos do Prefeito e irmos à luta!
João Diego Leite